Dauzito e a caminhada

TIRDAU TIRINHA DAUZITO CAMINHADAA forma como encaramos as adversidades e escolhemos trilhar nossa estrada da vida é mais determinante para nossa felicidade do que alcançarmos ou não objetivos específicos.

Devemos ter o cuidado de jamais nos esquecermos de que a vida acontece no agora e que a forma como vivemos o dia-a-dia, com ética e amor, no fundo é o que mais importa.    Elitan David

Persistência de diretora garante vaga a aluna com síndrome de Down no DF

Menina de 4 anos esperava matrícula em escola desde o começo do ano.
Mãe diz conseguir dormir após inscrição da filha em escola, da Asa Norte.

diretora consegue vaga para dauzita

Mesmo sem vagas e na metade do semestre, a diretora de uma escola pública de Brasília conseguiu fazer com que uma menina de 4 anos com síndrome de Down pudesse assistir aula. Uma das medidas que ela tomou para acolher a aluna foi chamar uma uma nova professora no quadro. A menina esperava por uma vaga desde o início do ano.

Aline Dantas é diretora do Jardim de Infância da 312 Norte há nove anos. Para ela, fazer com que Débora de Souza frequente a sala de aula traz benefício para todos os alunos.

“A convivência, o respeito, ele saber que existem as diferenças e que eles podem conviver juntos. O aluno que não tem essa necessidade consegue perceber isso no outro e ver que é natural, que isso é um ganho muito grande pra vida dele todo.”

Desempregada, a mãe da menina, Vanderleia Araújo de Souza, diz que só conseguiu descansar depois de conseguir matricular a criança. “Estou dormindo assim um sono tranquilo enquanto nos seis meses nãoconseguia mais dormir. Era mais chorar do que sorrir e agora estou sorrindo”, emocionou-se.

Segundo ela, o comportamento da filha mudou “totalmente” com a inclusão da menina. “Minha filha já está começando a ler a escrever, pintar. Já conhece letra, já conta até 10. Então assim o desenvolvimento esta deslanchando eu não tenho assim palavras.”

Fonte: http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2016/06/persistencia-de-diretora-garante-vaga-aluna-com-sindrome-de-down-no-df.html

Foto de avô e neto com mesma cicatriz está comovendo a internet

Imagem compartilhada no Facebook viraliza; ambos já passaram por cirurgias do coração.

 


Avô e neto têm a mesma cicatriz em formato de zíper – Reprodução Sunshine Moody

 

RIO – Cerca de 67 anos separam Allan Halstead de seu neto Kolbie Gregware, de 11 meses, mas além dos laços familiares que os unem, uma cicatriz igual, fruto de cirurgias no coração, aproxima ainda mais os dois. Esta fotografia que mostra o idoso segurando o bebê, ambos com a marca no peito, vem comovendo as redes sociais mundo afora.

A imagem foi compartilhada no Facebook pela filha de Allan, que é mãe de Kolbie. Ela escreveu na legenda que seu pai e seu filho são “Dois milagres de luta”. Segundo Brandy Gregware, o avô e o neto lutam contra problemas graves de saúde.

Ela conta que o pai já passou por duas cirurgias de coração e sofre com diabetes e pequenos ataques cardíacos constantes. Já o filho de Brandy passou pela primeira cirurgia do coração quando tinha apenas quatro meses. O bebê, que tem síndrome de Down, nasceu com um defeito no coração, além de uma doença pulmonar crônica, entre outras enfermidades.

“Eu me sento e vejo meu pai segurando Kolbie por horas, e eles conversam sobre seus ‘zíperes’ (as cicatrizes no mesmo formato). Definitivamente, é possível ver o amor e a ligação desses dois milagres de luta nessa foto. Digo isso com lágrimas nos olhos. A vida do meu pai está acabando lentamente e a de meu filho está apenas começando”, escreveu Brandy no post da imagem feita pela fotógrafa Sunshine Moody.

Fonte: http://oglobo.globo.com/sociedade/foto-de-avo-neto-com-mesma-cicatriz-esta-comovendo-internet-19499694

Programa Estadual de Orientação sobre Síndrome de Down é aprovado na CCJ

O Projeto de Lei que institui o Programa Estadual de Orientação sobre Síndrome de Down foi aprovado por unanimidade pela Comissão de Constituição e Justiça, na última terça-feira (7).

FONTE: ASSESSORIA DE IMPRENSA LIDERANÇA PP
20042016_Financas_LGD-5 (1).jpg

Foto: Assessoria de Imprensa liderança PP

De autoria do deputado Zé o PL constitui uma série de ações do poder público e da sociedade civil organizada, voltadas para a compreensão, apoio, educação, saúde, qualidade de vida, trabalho e combate ao preconceito com relação às pessoas com Síndrome de Down, seus familiares, educadores e agentes de saúde. “Queremos por meio do programa assegurar a informação e a mobilização da comunidade e da rede de ensino para propagar a legislação e esclarecer sobre os direitos das pessoas com down”, frisou Zé Milton, e informou que o programa prevê a implantação de atividades para a interação da sociedade e profissionais da saúde.

Autor da Lei do Dia Estadual da Pessoa com Síndrome de Down, Zé Milton, propôs os projetos de Lei de registro dos recém nascidos com síndrome de down (vetado) e o que dá o direito que dispõe sobre a garantia da realização do “Teste do Cariótipo” no recém-nascido que apresenta sinais sugestivos de Síndrome de Down (SD) (em tramitação). “Nós queremos garantir com os projetos o atendimento precoce, e assim, assegurar o pleno desenvolvimento das pessoas com down”, finalizou Zé Milton, ressaltando que quanto antes a criança for estimulada melhor será o seu desenvolvimento.

O projeto que cria o programa segue agora para a Comissão de finanças.

 

Fonte: http://www.folharegional.org/geral/programa-estadual-de-orienta%C3%A7%C3%A3o-sobre-s%C3%ADndrome-de-down-%C3%A9-aprovado-na-ccj-1.1916658

Robô é projetado para ajudar no aprendizado de crianças com autismo e Síndrome de Down

Foto: reprodução The Greenest Post

Qual criança não gosta de brincar com robô? Pois é, pelo menos a maioria delas se encanta com esses pequenos “seres” tecnológicos. E se um robô ainda ajudar no desenvolvimento de crianças com autismo ou Síndrome de Down? É exatamente isso que uma empresa francesa fez, ela criou um robozinho que auxilia no aprendizado dos pequenos que possuem dificuldades específicas.

Batizado de Leka, o mesmo nome da empresa, o robô foi desenvolvido para auxiliar nas habilidades cognitivas, motoras, intelectuais e emocionais das crianças. O brinquedo, que encoraja a autonomia e trabalha as habilidades sociais, é multissensorial e interage com o pequeno durante a brincadeira.

Foto: divulgação

Em forma de bola e com face virtual, Leka se move sozinho e, quando é arremessado, volta com um sorriso. O protótipo foca na estimulação da criança, ajudando na melhora do processamento sensorial e na redução da ansiedade.

O robô interage com sons, cores e luzes, e ainda possui jogos como esconde-esconde e um bingo colorido. Leka ainda conta com um dispositivo que possibilita aos pais acompanhem o desenvolvimento de seus filhos através de um aplicativo.

Segundo Ladisla de Toldi, um dos fundadores da companhia, Leka pode ser uma espécie de “cão guia” para autistas, pois proporciona sensação de segurança e serenidade à criança.

O robô Leka ainda é um protótipo e, para se tornar real e comercialmente viável, a empresa francesa arrecada dinheiro através de uma campanha de financiamento coletivo.

 

Fonte: https://catraquinha.catracalivre.com.br/geral/cuidar/indicacao/robo-e-projetado-para-ajudar-no-aprendizado-de-criancas-com-autismo-e-sindrome-de-down/

Ativista do Movimento Down, judoca Breno Viola conduzirá Tocha Olímpica

“É a vitória de várias lutas”, diz ele, que protagonizou o filme Colegas

Breno Viola foi o primeiro judoca faixa-preta com Síndrome de Down a vencer o mundial (Foto: Reprodução)

Inscrito no programa público de condutores do revezamento da Tocha Olímpica Rio 2016, Breno Viola, que é ator, judoca e ativista do Movimento Down, vai transportá-la nesta terça-feira (31), no Recife. “É a vitória de várias lutas”, conta ele, que ficou muito emocionado ao receber a notícia.

Breno ficou famoso em todo o Brasil ao participar, em 2012, do bem-sucedido filme Colegas, sobre trio de adolescentes portadores da síndrome de Down que dedice embarcar num roadie movie. Ele também participou do quadro “Qual é a diferença?”, do Fantástico, ao lado de Drauzio Varella.

O atleta rubro-negro conquistou a medalha de prata na 14ª edição do Days of Sport as Integration and International Judo Meeting, uma das mais tradicionais competições do Judô para Todos, neste mês. O torneio foi realizado em Ravena, na Itália. Vale lembrar que Breno também é o primeiro judoca faixa preta com síndrome de Down a ser campeão mundial.

 

Fonte: http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/bruno-astuto/noticia/2016/05/ativista-do-movimento-down-judoca-breno-viola-conduzira-tocha-olimpica.html