premio-claudia-fernanda-honorato

Fernanda Honorato foi reconhecida na 22ª edição do Prêmio Claudia (Imagem: Mariana Pekin/Claudia)

Fernanda Honorato brilhou na noite de segunda-feira, 2, durante a 22ª edição do Prêmio Claudia. A jornalista é a primeira repórter com síndrome de Down do país e foi agraciada na categoria Trabalho Social. “Agradeço pela oportunidade e por colocarem uma mulher com deficiência intelectual em um prêmio tão importante”, declarou a comunicadora, que subiu ao palco emocionada pelo reconhecimento. A profissional concorreu com Gina Ponte, educadora que criou um projeto para ampliar o conhecimento dos alunos sobre o papel e a força da mulher, e Karine Vieira, assistente social que ajuda pessoas recém-egressas do sistema penitenciário a conseguir emprego.

Fernanda tem Marília Gabriela como musa inspiradora e sempre conta que quando criança brincava de entrevistar seus familiares. Em 2006, foi descoberta enquanto dançava em uma boate e passou a integrar o time do ‘Programa Especial’, da TV Brasil, tornando-se a primeira repórter com deficiência intelectual do país. “Gostaria de agradecer a pessoa que abriu a porta para mim e colocou uma pessoa com síndrome de down para ser repórter. Queria, também, dedicar o prêmio às outras candidatas. Se eu sou o que sou, devo às pessoas que acreditaram no meu sonho de romper barreiras”, disse. Fernanda acredita que o reconhecimento abre muitas oportunidades de informação e tecnologia para a inclusão de pessoas.

Em oito categorias, o Prêmio Claudia jogou luz no trabalho de diversas mulheres inspiradoras espalhadas pelo Brasil. A cerimônia teve apresentação de Eduardo Moscovis e revelou a atriz Taís Araújo como a grande homenageada. “Eu queria tanto que as crianças tivessem as mesmas oportunidades nesse país. Eu só acredito em mobilidade social através da educação. E quando eu fico firme com o meu filho e ele me desafia, eu falo para ele: ‘você vai cansar, porque eu sou incansável’. Para todos os trabalhos que vimos hoje aqui no palco, nós precisamos ser incansáveis”, afirmou a artista.

Além da entrega dos troféus e da homenagem, o Prêmio Claudia foi palco para divulgação do novo posicionamento da Revista Claudia, que chega neste mês às bancas com uma edição de manifesto sob o mote #EuTenhoDireito. Com a jornalista Ana Paula Padrão na direção do veículo, a marca do Grupo Abril passa a defender o direito que as mulheres têm de não ser julgada por suas escolhas. “A gente quer ser feliz e convida todo mundo para essa grande festa. A gente quer ser leve, livre e solta. Bota na cabeça e na ponta da língua #EuTenhoDireito e conte comigo e com Claudia para gritar sua escolha por aí”, escreveu Ana Paula na carta ao leitor da edição.

Fonte:http://portal.comunique-se.com.br/premio-claudia-reconhece-o-trabalho-da-primeira-reporter-brasileira-com-sindrome-de-down/