Havia sonhado tanto em conseguí-las que agora nem acredito que são minhas”, reconhece a jovem que conseguiu alcançar seu sonho ao vencer pela primeira vez uma competição internacional de ginástica rítmica.”

 

A ginasta natural de Elche (Espanha) Sara Marín realizou seu sonho. A jovem conseguiu cinco medalhas de ouro em uma única competição: o “Trisome Games” de Florença, os primeiros Jogos Olímpicos para atletas com síndrome de Down.

Sara representou a Espanha na ginástica rítmica e agora afirma, emocionada, que não crê que as medalhas sejam suas. “Havia sonhado tanto em conseguí-las que agora nem acredito que são minhas”, reconhece a atleta.

A jovem olha e toca as medalhas. E sorri de felicidade. “Estou muito feliz, porque realizei um sonho”, reforça comovida, durante a cerimônia de encerramento da competição, como indica o “Diario Información” da comunidade valenciana.   

“Estar lá, no lugar mais alto do pódio, e escutar o hino espanhol foi muito emocionante”

Não é a primeira vez que Sara aprecia o sucesso, pois tem em seu currículo nove campeonatos da Espanha. Mas desta vez confessa que “uma lágrima me escapou. Eu estava tão feliz naquele momento, que as emoções se acumularam. Além disso, minha mãe estava na arquibancada”.

A atleta fala de seus sentimentos depois de ganhar os títulos e relata que “estar lá, no lugar mais alto do pódio, e escutar o hino espanhol foi muito emocionante”.

Sara fez história ao conseguir a melhor pontuação nos quatro aparelhos em que competiu: bola, aro, fita e maças, além da premiação pela melhor apresentação na final.

Apesar da emoção, seus treinadores dizem que por trás das medalhas de há muito trabalho e esforço. Titi Alberola e Lidia Marín disseram que “são muitos anos de esforço e, nos últimos tempos, a fim de dar um salto de qualidade, temos treinado três horas por dia, de segunda a sexta-feira”.

Orgulhosa, Alberola acrescenta que “desde março, depois que conquistou o título de campeã da Espanha, Sara se concentrou nessa Olimpíada. Tivemos que intensificar o trabalho para obter uma boa nota para o teste. Temos o melhor. Em Florença, Sara mostrou que era superior”.

Sara Marín ganhou cinco medalhas de ouro em ginástica rítmica.

Entre as felicitações que recebeu, Sara destaca a de Almudena Cid. A ex-ginasta rítmica, que disputou quatro finais olímpicas, escreveu em sua conta no Twitter: “Sara Marin arrasa com 5 medalhas de ouro na I Olimpíada para Pessoas com Síndrome de Down. Parabéns!”

Com apenas 20 anos, a jovem atleta decidiu enfrentar sua primeira participação internacional em um esporte em que não há competição federada a nível europeu ou mundial para pessoas com deficiência. Agora, eles vão lutar para que a ginástica rítmica seja reconhecida como esporte Paraolímpico.

Na verdade, Sara poderia participar das Paralimpíadas deste ano. Sua família conseguiu arrecadar 3.500 euros de várias empresas que os apoiaram para pagar as despesas de viagem. “O custo era muito alto e temos tido a colaboração de muitas pessoas que queriam realizar o sonho de Sara. Muito obrigada a todos pela colaboração”, agradeceu sua mãe.

Traduzido por: Ana Cláudia Pereira e Ana Luzia Sequeira Lemos

Fonte: http://casaprovidami.com.br/sara-marin-volta-para-casa-com-cinco-medalhas-de-ouro-nas-olimpiadas-da-sindrome-de-down/